Seu futuro em boa companhia!

Sobre a TELOS

O Amadurecimento de uma Conquista

A história da TELOS – Fundação Embratel de Seguridade Social começa na década de 70. Naquela época, pouco se falava ou se conhecia sobre Previdência Complementar. Tudo era, ainda, uma novidade.
Novidade que consolidou-se com uma carta enviada pela firma STEA – Serviços Técnicos de Atuária, em 27 de setembro de 1971, ao então presidente da Embratel, General Francisco de Souza Gomes Galvão, em atenção ao chefe do Departamento de Administração, Paulo Ignácio Domingues.

Na mensagem, o atuário Rio Nogueira apontava as vantagens da implantação na empresa de um sistema de seguridade social, diante das limitações dos valores dos benefícios do antigo INPS e da consequente insegurança que causava aos trabalhadores.

Um ano depois, em 1972, Ignácio Domingues, já como assistente da Diretoria Administrativa, levou o assunto ao seu diretor administrativo, Eduardo Alcoforado Pontual, que, por sua vez, encaminhou a proposta ao então presidente da empresa, Iberê Gilson. Nela estavam relacionadas questões que envolviam:

  • a tranquilidade do empregado quanto à segurança de seus familiares e dependentes, nos casos de morte einvalidez prematura;
  • a renovação do quadro de pessoal da Embratel a partir da motivação de aposentadoria dos empregados mais antigos;
  • a manutenção dos empregados na empresa, sobretudo os especializados, desestimulando o assédio de outras empresas concorrentes.

No mesmo ano, em 1972, o próprio Iberê Gilson autorizou o início dos estudos que viabilizariam a implantação da TELOS, ou seja, a criação de um sistema de seguridade social capaz de oferecer segurança, tranquilidade e uma aposentadoria digna aos empregados da Embratel.

O grupo de trabalho foi composto por Paulo Ignácio Domingues (presidente), José Muiños Piñeiro, Jayme de Castro e David de Souza e Silva.

Obstáculos administrativos e burocráticos foram vencidos e, após cumprir todas as exigências da Curadoria, a Fundação teve aprovados seu estatuto e seu regulamento pelo Ministério Público do Rio de Janeiro.

No dia 1º de agosto de 1975, com índice de 98% de adesão, a TELOS passou a existir juridicamente. Na época, o presidente da Embratel era Haroldo Corrêa de Mattos, que foi também o primeiro presidente do Conselho Deliberativo da Fundação.

Desde então, a TELOS vem cada vez mais se destacando no cenário da Previdência Privada no Brasil, graças à responsabilidade e à competência com que são administrados os ativos financeiros e o patrimônio de mais de 38  mil pessoas, entre participantes ativos, aposentados, pensionistas e dependentes.

Ao longo dos anos, melhorias foram implementadas de acordo com a nossa finalidade  de instituir, administrar e executar planos privados de concessão de benefícios de natureza previdenciária, complementares ou assemelhados aos da Previdência Social.

Mudanças tais como implantação de Benefício Mínimo, oferta de nova forma de reajuste dos benefícios com base na variação do IGP-DI foram algumas das importantes medidas adotadas em relação ao Plano de Benefício Definido – PBD.

Em 1998, acompanhando novo cenário econômico caracterizado pela privatização e o  fim do monopólio do nosso Patrocinador instituidor, foi criado o Plano de Contribuição Definida – PCD, um plano de benefício desenhado segundo modernas técnicas de previdência, sendo o PBD encerrado para novas adesões.

O PCD, oferecido aos empregados da Embratel, contou com a adesão de 96% dos participantes, através de migração do PBD para o novo Plano, que puderam contar com um plano muito mais flexível e participativo.

Paulatinamente novas empresas, do grupo Embratel, firmaram convênio de adesão, passando a patrocinar o PCD também para os seus empregados. StarOne, Primesys, TV SAT e  Telmex do Brasil que puderam desde então oferecer aos seus empregados  um futuro tranquilo.

Em abril de 2014 o PCD passou a ser denominado PCV I. A nova denominação – Plano Telos Contribuição Variável I (PCV I) atendeu a proposta de mudança da TELOS e a recomendação da própria PREVIC de adequação do nome, na forma estabelecida na Resolução nº 16 do Conselho de Gestão da Previdência Complementar – CGPC, emitida em 2005.

Em 31 de dezembro de 2014 a Claro se tornou a Patrocinadora Principal da TELOS após a incorporação da Embratel e da NET.

Atualmente os Patrocinadores da TELOS são: CLARO (Incorporadora da Embratel); AMERICEL S.A, Star One, PrimeSys; TVSAT (CLARO TV); TELMEX do BRASIL; Instituto NET Claro Embratel e a própria TELOS.

Com uma estratégia de gestão dos recursos que privilegia a segurança do patrimônio, a TELOS  vem alcançando resultado  que superam as metas estabelecidas pelos planos, podendo cumprir assim o compromisso contratual com seus participantes.

TELOS – o fundo de pensão de quem não olha só para o futuro: investe no presente.